fbpx
crcc@iad.com.br
51 3028 1020 | 51 3028 1828 51 3325 3060 | 51 3012 8866 51 996 175 061
Retocolite Ulcerativa

Retocolite Ulcerativa

INTRODUÇÃO SOBRE A DOENÇA

Doença Inflamatória Intestinal (DII) é uma denominação utilizada para duas doenças distintas: a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa.

As Doenças Inflamatórias Intestinais afetam mais frequentemente jovens entre 20 e 40 anos. Entretanto, observa-se uma maior incidência da doença também em pacientes acima dos 55 anos. Não se sabe exatamente a causa, mas sabemos que ocorre um desequilíbrio na resposta imunológica à nível intestinal, o qual leva a um processo inflamatório crônico do aparelho digestivo.

Retocolite Ulcerativa

A Retocolite Ulcerativa é uma doença crônica que afeta o intestino grosso em sua camada mais superficial: a mucosa.  O processo inflamatório pode afetar tão somente o reto (segmento mais próximo ao ânus) ou até mesmo todo o intestino grosso. Os principais sintomas são a diarréia, a perda de sangue e muco pelas fezes e a dor abdominal. Quando a inflamação não é bem controlada, crises graves podem ocorrer, gerando a necessidade de internações hospitalares e, em casos muito graves, a retirada de todo o intestino grosso pode ser necessária.

O início dos sintomas é usualmente gradual. A intensidade dos sintomas pode ser leve, com quatro ou menos evacuações diarreicas ao dia, com ou sem sangue, até mais do que 10 evacuações por dia, com grande comprometimento da qualidade de vida.

Os pacientes podem ter sintomas sistêmicos como febre, fadiga, anemia, dores articulares e perda de peso, sintomas que podem ocorrer tanto na Doença de Crohn como na Retocolite Ulcerativa.

A FADIGA

A sensação de cansaço e fadiga é um sintoma muitas vezes negligenciado nos pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. As pessoas expressam o sintoma “fadiga” de diversas formas:  pode ser descrita como uma sensação avassaladora de cansaço contínuo, falta de energia, ou sensação de exaustão que não é aliviada após o descanso ou o sono. Normalmente vai além da sensação de cansaço comum após um longo dia de trabalho físico ou mental. Pode ser a sensação de falta de motivação ou concentração. Esta sensação pode variar de um dia para o outro.  Pode ocorrer tanto nos momentos em que a doença está em remissão (sem sintomas) quanto em atividade (com sintomas). Estudos mostram que até 75% dos pacientes portadores de Crohn e Colite sofrem de fadiga e sensação de falta de energia. Esta fadiga pode ter várias causas e explicações, tais como: deficiência de ferro, depressão ou até mesmo inflamação ativa apesar da pessoa estar sem diarreia ou dor abdominal. Enfim, esta sensação de cansaço e fadiga costuma afetar muito a qualidade de vida das pessoas e deve ser muito bem avaliada.

 Dicas nutricionais:

Em primeiro lugar não existe uma dieta específica para Doença de Crohn ou Retocolite ulcerativa. No entanto, alguns cuidados alimentares são necessários em situações individualizadas. Por exemplo, quando o paciente está em crise, com diarreia, é necessária a restrição da ingestão de fibras, pois estas geralmente aceleram a movimentação intestinal e pioram o sintoma.

Entretanto, realizar uma avaliação nutricional é de extrema importância para a detecção de deficiências nutricionais que devem ser corrigidas ao longo do tratamento. Quanto mais equilibrado estiver seu organismo, melhor ele irá responder aos tratamentos instituídos pelo seu médico.