fbpx
crcc@iad.com.br
51 3028 1020 | 51 3028 1828 51 3325 3060 | 51 3012 8866 51 996 175 061
A diarreia é um dos sintomas mais comuns da doença inflamatória

A diarreia é um dos sintomas mais comuns da doença inflamatória

A diarreia é um dos sintomas mais comuns da doença inflamatória intestinal. Entre as causas estão:

– doença na fase aguda

– efeitos colaterais de medicamentos (mesalazina, sulfassalazina, azatioprina)

– pós-operatório de algumas cirurgias (ressecção extensa do cólon e/ou intestino delgado)

– má absorção de gorduras e bile

-infecções

– suplementos de ferro

O acompanhamento com o gastroenterologista e nutricionista especialistas em DII é fundamental.

SAIBA MAIS:

Risco de osteoporose – A osteopenia que é caracterizada pela perda de massa óssea, bem como a osteoporose, são frequentes em pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. A inflamação intestinal diminui a absorção de uma série de nutrientes. Além disso, pode ocorrer restrições ou intolerâncias aos produtos lácteos os quais são fontes importantes de cálcio. Por isso, é importante o acompanhamento nutricional para adequar as necessidades individuais e avaliar a indicação de suplementação de vitaminas e minerais.

Perda de peso – Alterações são comuns em pessoas com doenças inflamatórias intestinais (DII). É importante estar sempre alerta para a perda de peso involuntária. As DII podem comprometer a digestão e a absorção dos nutrientes ao longo de todo o trato gastrointestinal.

Os principais fatores associados à perda de peso são má absorção intestinal, dieta muito restritiva, medo de comer determinados alimentos, especialmente durante a fase ativa da doença e presença de estenose que é um estreitamento no intestino dificultando a passagem dos alimentos. O acompanhamento nutricional na DII é fundamental para manter uma alimentação saudável e equilibrada, melhorar a qualidade de vida e evitar deficiências nutricionais que podem causar, por exemplo, anemia por deficiência de ferro e vitaminas do complexo B cujos sintomas são cansaço e falta de energia.
Em casos de estenose é necessário fazer modificações na alimentação para facilitar a passagem dos alimentos no intestino e por vezes o tratamento cirúrgico é indicado. Nesse sentido, durante o período em que o paciente se prepara para a cirurgia, o acompanhamento nutricional tem como objetivo a recuperação de peso para evitar a desnutrição, reduzir os sintomas e auxiliar o organismo no processo de cicatrização no pós-operatório.